22/12/2016 - 20:12:47

A ÚLTIMA ENTREVISTA DO PREFEITO ROGÉRIO LORENZETTI

Na tarde desta quinta-feira, o prefeito Rogério Lorenzetti reservou algumas horas para entrevistas exclusivas com órgãos da imprensa. Um deles foi este blog, que publica agora os principais trechos da conversa com o prefeito que se despede da prefeitura após oito anos de mandato. Leia:


- Faltando poucos dias para terminar seu segundo mandato, qual o sentimento que fica?
RL - Com o sentimento de missão cumprida. E também com a alegria de saber que pude contrbuir para o crescimento de Paranavaí.
- Se fosse possível o que o sr. faria diferente na administração da cidade?
RL - Estou satisfeito com o que conseguimos realizar nestes oito anos. Busquei sempre o melhor para a cidade e hoje avalio que o resultado me surpreendeu. Não imaginava no início desta jornada que conseguiria realizar tanto.
- Qual o setor da prefeitura que o sr. destacaria em sua gestão, positiva e negativamente?
RL - Não falo em uma área apenas, mas destacaria pela ordem a Educação, Saúde, Infraestrutura e Assistência Social. A sistematização dos serviços públicos oferecidos pela prefeitura, com uma equipe de servidores capacitados. Adotamos de forma positiva a meritocracia. 
- O senhor teve participação ativa nas redes sociais e muitas vezes não foi nada positivo, inclusive com queixas-crime contra usuários da rede por calúnia e difamação. Valeu a pena essa exposição?
RL - Acredito que sim. No debate das redes sociais acontecem momentos difíceis. Existem pessoas educadas e tem aquele que abusa, partindo para ofesnas pessoais. Mesmo com sacrifício político optei por informar as pessoas como a prefeitura funciona. Não me furto ao debate. Ele é sempre positivo.
- Como avalia a afirmação de que senhor seria arrogante?
RL - Pode parecer, mas apenas tenho informações a respeito do que falo sobre administração. Conheço o serviço público e como ele funciona. A informação é uma arma poderosa. Precisamos capacitar as pessoas sobre como funciona a administração. Por uma questão cultural, a pessoa elege o prefeito e acha que ele resolve tudo e nós sabemos que existem outras esferas de poder que também possuem suas responsabilidades junto à população.
- O prefeito eleito Delegado KIQ tem batido na tecla do combate à corrupção como forma de administrar. Na sua gestão como o assunto foi tratado?
RL - Como delegado, o KIQ sempre combateu a corrupção e talvez por isso fale com frequência do assunto, mas não lembro dele ter se referido à atual administração. Acredito que seu discurso é mais genérico.
- Falando de política, os críticos afirmam que o senhor não teria privilegiado integrantes do PMDB, por exemplo, durante a sua administração, o que teria enfraquecido uma candidatura a prefeito com seu apoio. Qual visão tem dessa questão? 
RL - Joguei limpo, talvez o meu defeito. Coloquei quatro secretários como pré-candidatos e nosso grupo poderia ter até indicado o vice do Valdir tetilla e talvez pelo fato de alguns do PMDB não terem sido atendidos deram o troco na convenção. Tinha noção que a chance de sucesso da candidatura do PMDB era mínima. Acho que tomei a atitude certa ao me manter neutro. Hoje estamos vivendo uma transição tranquila com o prefeito eleito, coisa rara. Quem ganha é a cidade e torço para que Paranavaí continue crescendo. 
- O assunto agora são os buracos no asfalto. O sr. conseguiu paviemntar vários bairros da cidade, mas não escapou das críticas pelos buracos no pavimento em vários bairros da cidade. É possível resolver a questão dos buracos?
RL - A minha administração foi a que mais investiu em pavimentação asfáltica. Asfaltamos um terço da cidade e recuperamos vias em outro um terço. A situação se agravou devido às intempéries climáticas, que provocaram um desgaste maior na malha asfáltica. Mas como costumo dizer o próximo prefeito terá apenas que colocar a cereja no bolo. Não atuamos somente nesta área, mas o que tem a ser feito é bem menos do que herdei.
- O Atendimento na saúde sempre foi motivo de críticas, apesar do aumento nos investimentos em obras e pessoal. Como resolver a questão, ou temos que admitir que o setor é um buraco sem fundos?
RL - O tema saúde é uma questão cultural e comportamental. Muita gente que não utiliza os serviços públicos vai pelo "ouvir falar". Cabe lembrar que o município é responsável pela atenção básica, os problemas maiores estão na oferta de consultas de especialidades e de leitos. Poucos municípios realizaram tantos atendimentos como Paranavaí. Investimos na prevenção da doença, colocando equipes de ESF em todas as regiões da cidade, buscando uma mudança cultural.
- Foram milhões de reais investidos e que terão que ser pagos, como o sr. deixa a prefeitura de Paranavaí na questão de capacidade de endividamento?
RL - O prefeito eleito Delegado KIQ é um homem de muita sorte. Ganhou a eleição sem grandes dificuldades e vair herdar um município saneado, com as contas em dia. O município será entregue dentro dos parâmetros previstos na Lei de Responsabilidade Fiscal. E me comprometo, desde que consultado, a contribuir para que o município continue assim.
- O sr. pretende continuar na política, agora como postulante a uma cadeira na Câmara Federal? Vai continuar no PMDB?
RL - O PMDB de Paranavaí precisa de uma oxigenação. Tivemos o segundo vereador mais votado (Lucas Barone), graças também ao meu empenho pessoal, mas perdemos a eleição. É preciso reformular o partido. Sobre candidatura, vou analisar o quadro de candidatos e certamente não vou sair sem chances de vitória. Para isto, vai ser preciso o apoio das lideranças. Sobre se vou continuar ou não no PMDB, partido que gosto e nele tenho amigos, só devo decidir em meados do ano que vem. Recebi convites de vários partidos, entre eles o PV, PDT, PSD, PR e PSDB.

mostrar

(Clique para gravar o seu comentário)




Fale com o Praxedes